Make your own free website on Tripod.com

Ecologialab

Começo | Caderno de campo | Segurança no campo | Protocolos | Seleção Natural | Conceito de Espécies Morfõlogocas | Conceito de Espécies Filogenéticas | Avistamentos e Incidencias | Formulário para a prática de avistamentos | Simulando populações - Efeito de El Niño | Populações Vegetais | Jogo de Lotka e Volterra | Caos na dinâmica populacional | Simulando Populações - II | Análise Populacional | Marcação e Recaptura | Questionário sobre Marcação e Recaptura | Avaliação de Habitat | Parcelas | Vizinho mais próximo | Análise de Viabialidade Populacional | Contato

Segurança no campo

Responsabilidade profissional

Qualquer trabalho no campo possa ser perigoso, ainda realizada em áreas bem conhecidas. Sempre devem ser respeitadas medidas e regras básicas de segurança. Entre essas incluem:

1. Sempre obter uma previsão atual do tempo.

2. Consultar, quando possível, moradores locais.

3. Sempre obter permissão do dono do terreno ou autoridade competente antes de entrar em qualquer terreno.

4. Estar consciente dos problemas potenciais de saúde dos membros do grupo.

5. Manter endereços e números telefônicos de todos os membros do grupo.

6. Deixar uma copia dos endereços e números telefônicos dos membros do grupo no acampamento junto com a hora esperada da volta.

7. Nunca realizar trabalho de campo sozinho. Pelo menos três pessoas devem compor o grupo, o qual permita que uma pessoa fica com um acidentado quando a outra pessoa procura ajuda.

8. Todos os membros do grupo devem estar em dia com as vacinas mínimas: tétano, febre amarelo, etc.

9. Certas áreas são mais perigosas que outras, especialmente pântanos e mata atlântica de encosta.

10. Sempre estar preparado pelo pior, seja clima ou acidentes. Todos os membros do grupo precisam saber técnicas de primeiro socorro e de segurança pessoal. Por isso, o material essencial levado ao campo deve incluir sapatos apropriados (preferencialmente botas), luvas, chapéu ou boné, um kit de primeiros socorros, lanterna a pilha, mapa, bússola, comida básica (chocolates e outras doces com teores elevados de glicose), água portável, apito, e cobertura (mosquiteiro com teto, pelo menos).

11. Lembra os sinais básicas de socorro (S.O.S.) para apitos ou lanternas: três sinais

curtos seguidas por três sinais compridas, e outra vez três sinais curtos.




Foi picado por uma cobra? Saiba o que fazer?

Uma cobra deu o bote. E agora? O desespero costuma ser a primeira reação. Mas tente manter a calma: segundo dados do Museu Biológico do Instituto Butantã, apenas 0,5% das pessoas picadas por serpentes morrem.
Para garantir que as chances de sobrevivência da vítima aumentem, aprenda os primeiros socorros e saiba o que fazer e o que não fazer nesses casos.

Que as cobras produzem veneno, todo mundo sabe. Mas nem todas elas são capazes de passá-lo para a vítima na hora da picada. É com as que fazem isso que devemos nos preocupar - elas são chamadas de peçonhentas. Existem quatro tipos no Brasil: jararacas, surucucus, cascavéis e corais.
A diferenciação correta entre cobras peçonhentas e não peçonhentas é essencial para saber como agir no caso de uma picada.
Não existe uma característica única que garanta a identificação. Deve-se analisar, em conjunto:
Presença de fosseta loreal (órgão que se apresenta como dois pequenos "buracos" no focinho),
Tipo de dentição,
Forma triangular da cabeça,
Comprimento e tipo de cauda,
Tipo de escamas,
Padrão de colorido,
Padrão de desenhos,
Marcas deixadas pelas mordidas.
É peçonhenta toda serpente que possuir fosseta loreal ou colorido vermelho, preto, branco (ou amarelado) sob a forma de anéis no corpo e presas situadas na parte anterior da boca.
1. Se possível, mantenha a vítima deitada
2. Lave o local da picada apenas com água ou com água e sabão
3. Ofereça água para a pessoa beber
4. Procure um médico com urgência
5. Se possível, leve a serpente, viva ou morta, para identificação.